top of page

Os símbolos amazônicos que você vai encontrar na Uakari Lodge

Atualizado: 31 de mar. de 2023

É comum que nós criemos símbolos para representar aquilo que ainda não pudemos conhecer. No entanto, com a Uakari muitas das imagens sobre a Amazônia podem se materializar na sua frente. Conheça algumas delas no artigo do mês.



Quando pensamos na Amazônia, logo vem à mente diversas imagens que nos remetem ao que pode ser encontrado entre suas matas.


Estes símbolos podem ser sobre os animais, sobre as plantas, sobre as comunidades, sobre a cultura destas pessoas, entre infinitas possibilidades (que cada um vai ter dentro da cabeça).


Neste artigo listamos aquilo que pode sair da sua imaginação e se materializar na sua frente!


Muitas destas imagens você pode ver na Uakari Lodge e suas experiências.


O Boto (Inia geoffrensis)

Muitos que visitam a Uakari Lodge se surpreendem com a quantidade de botos que podem ser avistados na Reserva Mamirauá. As suas lufadas de ar durante a respiração anunciam sua passagem.

São conhecidos por serem criaturas amigáveis e altamente inteligentes.

A relação destes animais com os seres humanos é das mais próximas, ocasionando em lendas, ditos e folclore. A versão mais popular, é a do boto festeiro, galanteador dos bailes. Um homem bonito, magro, de roupas brancas e que usa um chapéu para cobrir o orifício presente em sua cabeça (resquício de sua versão cetácea). Ao cair da noite, sai do rio para seduzir mulheres ribeirinhas.

No entanto, a interferência humana no habitat dos cetáceos pode prejudicar o modo de vida da espécie e torná-los agressivos entre si, na disputa pela comida oferecida pelos visitantes.


Foto: Wezzdy del Toro.


As Onças (Panthera onca)

É o terceiro maior felino do mundo, após o tigre e o leão, e o maior do continente americano. A onça-pintada faz parte da mitologia de diversas culturas indígenas americanas, incluindo as dos maias, astecas e guaranis. Carregam a simbologia nacional, representando a força do nosso meio ambiente.

Através do Jaguar Expedition, você pode avistar tanto onça-pintada quanto onça-preta.

Habitam a copa das árvores por alguns meses do ano, já que toda a área da unidade de conservação fica alagada durante uma época do ano - característica da floresta de várzea que compõe Mamirauá.



A Vitória Régia ou Jaçanã (Victoria amazonica).

É uma planta aquática típica da região amazonense.

O formato da sua folha lembra um forno de se fazer farinha de mandioca, o que justifica seus nomes como "forno" e "forno-de-jaçanã". Os ingleses a chamaram de Vitória em homenagem à Rainha Vitória, quando o explorador alemão a serviço da Coroa Britânica, Robert Hermann Schomburgk, levou suas sementes para os jardins de um palácio inglês.

É utilizada como folha sagrada nos rituais da cultura afro-brasileira, onde é denominada "oxibatá". O suco extraído de suas raízes é utilizado pelos índios como tintura negra para os cabelos.

O rizoma, as sementes, e os pecíolos (talos das folhas) são comestíveis, sendo considerada uma PANC (Plantas Alimentícias Não Convencionais). A flor pode atingir 30cm de diâmetro, sendo a maior flor da América. Expele uma fragrância adocicada que pode ser sentida à noite, quando abre.


Foto: Acervo da Uakari Lodge.


A Cobra Grande

Reza a lenda que, na região de Mamirauá, existe uma cobra muito grande que, nada mais, nada menos, mora debaixo da Uakari Lodge!

Muitos já puderam ter a sorte de ver a cobra com cerca de 2m de circunferência se movimentando.

Quem sabe quando você for nos visitar, ela mostre um pouco do seu charme?


Foto: Portal Amazônia.


Entre aqui para encontrar estas e outras experiências!





Kommentare


bottom of page