🇧🇷 Turismo ajuda a resgatar as tradições indígenas do kambeba na Amazônia

O Plano de Visitação do Território Indígena Jaquiri é apoiado pelo Instituto Mamirauá e pela Uakari Lodge

A ideia é que o plano de visitação também possa unir comunidades da mesma etnia.


Entre os Kambebas, do território indígena Jaquiri na Reserva Mamirauá, 47 das 49 pessoas que vivem na pequena comunidade frequentam a escola. “Os outros dois ainda são bebês”, explica André da Cruz, coordenador geral do Sindicato dos Povos Indígenas do Médio Solimões. A participação nas aulas pelos kambebas faz parte de um esforço coletivo da comunidade para recuperar e fortalecer tradições indígenas que, apesar de resistentes, passaram por um processo de esquecimento durante os últimos séculos devido à colonização da região.

Além disso, o Programa de Turismo de Base Comunitária do Instituto Mamirauá realizou uma reunião com os moradores da comunidade de Jaquiri, para a elaboração de um plano de visitação, no qual a comunidade poderia começar a receber turistas hospedados ​​na Uakari Lodge para conhecer o modo de vida e tradições da etnia kambeba.

Os Kambebas querem unir educação ao turismo para resgatar sua cultura.


O plano

O plano de visitação é uma exigência da Fundação Nacional do Índio para realizar projetos de turismo em terras indígenas. O documento estabelecerá regras e orientará as atividades para que a comunidade possa receber pessoas de diferentes países e mostrar a cultura Kambeba, além de ganhar uma alternativa para aumentar a renda da comunidade. Quando o processo estiver concluído, a comunidade poderá receber turistas hospedados no Uakari Lodge.

João Fernandes Cruz, o tuxaua local (liderança eleita pelo povo da comunidade) de Jaquiri, entende que o turismo pode beneficiar a comunidade de diferentes maneiras. “Isso pode fortalecer nossa identidade como indígena, a proteção de nossa terra, nossa renda. Esperamos que este plano possa melhorar cada vez mais a integração da sociedade com a população indígena da região ”.

(Créditos: Bernardo Oliveira)